Notícias

Como a imprensa estrangeira vê o OE2012

Escrito em 14 de Outubro de 2011 | por :

As novas medidas de austeridade anunciadas na quinta-feira à noite pelo primeiro-ministro Pedro Passos Coelho merecem hoje amplo destaque nas edições online dos jornais espanhóis, sendo também alvo de referências nos diários franceses e alemães.

O jornal espanhol Publico dá conta de uma “Nova tesourada de Portugal às pensões e funcionários”, sublinhando que o Governo português vai “cortar inclusivamente salários inferiores a 1.000 euros e aumentará o IVA”.
O El Pais destaca que “Portugal aumentará meia hora a jornada laboral e eliminará os subsídios aos funcionários” [públicos] que ganhem mais de 1.000 euros por mês, medida que também abrange os pensionistas.

De acordo com o jornal, os portugueses começam “a notar as duras exigências do resgate económico” de maio.
O ABC refere que “O Governo português elimina os subsídios de funcionários e pensionistas” e que as novas medidas de austeridade também “incluem o aumento em meia hora da jornada laboral no sector privado”.

O assunto também destacado no El Mundo: “Portugal amplia em meia hora a jornada laboral e suprime os subsídios”, e no La Vanguardia: “Portugal radicaliza o seu plano de ajuste para poder continuar no euro”.

O tema também é alvo de referência nos jornais online franceses, nomeadamente no Le Monde, que fala de uma “Nova série de medidas de austeridade em Portugal”, e no Le Fígaro, que dá conta de um “Orçamento de rigor para 2012″.

Imprensa alemã fala em medidas “dacronianas”

Os principais jornais alemães dão hoje destaque nas suas edições online às medidas de poupança anunciadas pelo Governo português a partir de 2012, que classificaram de “draconianas”.

O Die Welt escreve: “Portugal, um pecador da dívida, quer poupar ainda mais, o chefe do governo falou de emergência nacional e anunciou duros cortes”.

Por sua vez, o jornal de economia Handelsblatt noticia que “Portugal apresenta novos planos de poupança para 2012″, sem fazer ainda comentários aos mesmos, como sucede também na restante imprensa germânica, que recebeu a notícia já após o fecho das redações, na quinta-feira à noite.

Reproduzindo o despacho de uma agência noticiosa internacional, o matutino de Dusseldorf refere ainda que “o Governo português quer reduzir o défice orçamental com medidas de poupança draconianas para o próximo ano”.

O Handelsblatt destaca sobretudo que, no setor privado, o horário de trabalho deverá ser prolongado meia hora por dia.

“Portugal apresentou longa lista de medidas de poupança, primeiro-ministro anunciou tempos de emergência nacional em discurso televisivo”, revela o Sueddeutsche Zeitung.

O matutino de Munique dá mais destaque, no entanto, à descida do “rating” da Espanha pela agência norte-americana Standard & Poor´s.

Desvio orçamental de 3 mil milhões de euros

O primeiro-ministro anunciou na quinta-feira que as medidas do OE2012 visam garantir o cumprimento dos acordos internacionais, e que passam, entre outras, pela eliminação do subsídio de férias e de natal para os funcionários públicos com vencimentos ou pensões acima de mil euros por mês, enquanto durar o programa de ajustamento financeiro, até ao final de 2013.

Os vencimentos situados entre o salário mínimo e os 1.000 euros ficarão sujeitos a uma taxa de redução progressiva, que corresponderá em média a um só destes subsídios.

As pensões acima do salário mínimo e abaixo de mil euros sofrerão, em média, a eliminação de um dos subsídios.

O chefe do Governo afirmou que há um desvio orçamental de 3 mil milhões de euros e anunciou também que o executivo vai reduzir o número de feriados e permitir que as empresas privadas aumentem o horário de trabalho em meia hora por dia, sem remuneração adicional.